segunda-feira, 21 de maio de 2007

Tipos de mentalidade

Devo dizer que ando cansado. É curioso e estúpido mas dá cansaço não fazer nada da vida nem ter grande paciência para fazer com que as coisas mudem. Tem vezes que se pára para pensar sobre o nosso propósito de vida e em determinados casos chega-se à conclusão que apenas se vive por viver e anda-se ali a monte, sem querer sequer fazer algo para acontecer a tal mudança. É óbvio que existem muitas pessoas felizes e que estão muito bem na vida, mas acontece que o mundo e a mentalidade das pessoas é vastíssimo e geralmente o modo de convivência difere muito de pessoa para pessoa. Não existem duas pessoas iguais. Existem sim semelhanças. Quem diz isto do aspecto fisíco poderá equacionar igualmente em relação ao modo de pensar de cada um. Hoje em dia existe imensa gente com o mesmo tipo de objectivos, metas traçadas, que são reveladas através do esforço e exigência para consigo própria. A mente é algo muito criativo. Nunca se chega a usar metade da inteligência que podemos alcançar. O cérebro de qualquer pessoa permite o pressuposto que não existam pessoas menos espertas, o que acontece é que há casos em que se usa mais das capacidades e em outras não. Daí o conceito de génio, uma pessoa que provavelmente tem a aptidão para usar uma maior percentagem de processamento de informações, encadeando-os entre si e dando origem a algo que na prática é superior a muitos outros pensamentos de milhares de outras pessoas.

No estudo do corpo humano creio que o estudo da mente é o que consegue ser o mais apetecível. É um dado adquirido que existe milhares de formas de pensar diferentes, pessoas mais abertas, pessoas mais introvertidas, diferentes formas de humor ou seriedade. O que se passa geralmente com as pessoas mais introvertidas é a incapacidade de se libertarem de uma teia de submissão perante o medo de passar pela vergonha. Muitas destas pessoas geralmente até são pessoas interessantes se se dar algum à- vontade. O que acontece é que é dificil para elas isso acontecer, seja pelos núcleo de amigos que possuem, pela pouca intimidade que têem com eles, entre outras coisas. Outro exemplo são as pessoas que possuem duas facetas com diferentes tipos de pessoas. Muitas vezes ocorre ser-se muito extrovertido com algumas pessoas, e ser introvertido com outras. Depende do tipo de pessoas com quem se relaciona, seja por elas serem mais autoritárias com um certo tipo de humor, ou porque definem desde o primeiro dia que te conhecem que se tem ar de desprezível, ou mesmo aquelas que já te conhecem há anos e acham-te um tipo às direitas. É tudo uma questão de dar hipóteses às pessoas de vingarem na sociedade onde estão inseridas, nada mais que isso. Caso isso acontecesse não existiria casos de exclusão social como por vezes são relatados no dia-a-dia noticioso.

10 comentários:

Lusófona disse...

Não fazer nada cansa mesmo.... mas você está numa fase muito "filosofal"... isso deve cansar um bocado...

Beijokas e uma feliz semana

Alien David Sousa disse...

"ocorre ser-se muito extrovertido com algumas pessoas, e ser introvertido com outras."

Um dois em um. E claro que existem pessoas assim, podem ser extrovertidas mas introvertidas em situações pontuais.

Até porque as pessoas extrovertidas tem a tendencia a serem timidas, dado que muitas pessoas não entendem.

Existem todo o tipo. Gostei bastante deste texto.

beijinhos

Zé Pedro disse...

Amigalhaço tudo bem,

passa por aqui quando puderes...

http://blogcomtomates.blogspot.com/

Abraço do Catano !!!

peace_love disse...

Tens um desafio lá no meu cantinho!

eu mesma! disse...

andas a tomar alguma merda?????

Lyra disse...

Esmeraste-te neste post!
Uma reflexão interessante e muito bem apresentada.
Não fazer nada deve ser um tédio daqueles... que acaba por desgastar a todos os níveis. Daí o cansaço de que falas.
O remédio? Descansa fazendo alguma coisa ;)
Bjos excelência e parabéns por este post.

White_Fox disse...

Gostei bué do post. Mt reflectivo! Tás lá rapaz! Eheh.
Eu tb concordo que não existem pessoas burras, existem é pessoas mais aptas numas áreas do que outras! Mas o que a sociedade não compreende é isso! O einstein era disléxico e no entanto foi um dos maiores génios deste planeta!
Concordo com a alien: "as pessoas extrovertidas tem a tendencia a serem timidas".
Eu sou bastante timido perante novas situações (quem me conhece e está a ler isto deve pensar que estou a gozar). Mas depois consigo ser bastante extrovertido com as pessoas! O que preciso é de começar a conhecê-las...
eheh

Nomyia disse...

Really, really deep thoughts. O que descreveste no fim do teu texto são pessoas com high self monitoring (não sei se será assim que se escreve), ou a pessoa camaleão, aquela que se adapta a qulaquer situação. Ás vezes bem que dava jeito mas não apetece nada parecer ser algo que não som. Fico-me pelo humor esquisito e introvertido, mas... Sabes que mais? Sou feliz :)
*****

Belzebu disse...

Gosto muito mais de analisar as pessoas "per si", do que em função dos outros! As motivações, os contextos, as particularidades são determinantes e corremos o risco de analises deturpadas e injustas!

Saudações infernais!

Peste disse...

se com o QI normal já cá há cada artista... q serioa se utilizassem toda a inteligencia!!!

e realmente... fazer pouco cansa mais q fazer muito... bem... vou até ali deitar-me um cadinho...