quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

O que faz um ministro?

Em primeiro lugar é começar por dizer o inevitável. O que gosta de fazer um ministro, além de não fazer nada? A resposta é nada. Se não está a fazer nada entende por bem continuar assim. O difícil é saber quando parar. Parar de fazer nada é algo muito doloroso, porque esse estado é bastante agradável. É como pedir que se atire da ponte 25 de Abril às 19h sabendo que se tem uma consulta no médico às 21h30 e de momento está-se a matar moscas, logo não dá jeito... Outro aspecto a considerar é saber argumentar. Na linguagem de ministro, argumentar ou usar linguagem política é ter o poder ligeiramente persuasivo( ou que pretende ter) de dizer o maior número de bacoradas sem limite de tempo (infelizmente) e sentir-se capaz de dizer de um modo de falar que se pode chamar de inteligente. Ou seja, dizer lixo mas saber calcular o melhor modo de o dizer para dominar a malta que tem de ser endrominada.

Depois desse difícil processo, chega a vez de ir preparar mais discursos cativantes, concisos e...idiotas. Dando aqui a minha opinião, devo dizer que a rtp não está de parabéns com o programa que teve 'Quem quer ser milionário'. Acontece que fizeram sessões especiais do programa com gente famosa, mas ministros nem vê-los. Até o titulo do programa já forçava a esboçar no mínimo um sorriso, como é exemplo algo como 'Quem quer ser mais idiota?', ou o popular 'Um contra todos', que também não teve a devida atenção, não convidaram ministros. O programa 'Um burro contra muitos' teria feito sucesso, era ver o Mário Soares a adormecer a cada minuto, o Sócrates às aranhas com perguntas de somar e subtrair e o Louçã a rir-se dele e formarem a chamada batalha campal em pleno estúdio. Teria o seu quê de cómico vá...

Voltando ao assunto. Já repararam que cá em Portugal conseguimos ter animais que são ministros e que dizem que de Lisboa para baixo é deserto? Que raio de nacionalista é este? Já vi mendigos com mais fé no país que este zuavo! Porventura pensa que se o país for deserto há mais ajuda externa para equilibrar as contas do país, fazendo-nos passar por coitadinhos?! Cá em Portugal ajudas são mal distribuídas, seria tudo entregue a quem não sabe o que fazer...

Como se sabe os ministros pertencem sempre a um partido, exceptuando os independentes claro. Os partidos podem definir-se como conjuntos de azeiteiros bem engravatados e que têem como finalidade criar bronca em outros partidos e entre si próprios. Cascar uns nos outros é o que se pede por palavras técnicas. Existe os partidos que estão em cima, que criam condições para os partidos que estão em baixo andem à cabeçada com eles. Regra geral quer façam algo bom quer façam algo mau é sempre o mesmo. Mas como os de cima são amigos eles preferem sempre carregar na porcaria para os outros irem-lhes ao focinho, e a gente somos sempre os lixados claro está. Lembro-me claramente dos debates entre o Santana Lopes e o rei Louçã, aquilo era um festa...

Um dos pormenores que me iam escapando é a fatiota usada. Sempre farpela bonita. Só os comunistas é que optam pela roupa da loja em frente à sua casa. De tão comunas que são aposto que numa possível 'Grande Entrevista' com a Judite de Sousa se o povo passasse mesmo fome e andasse só de roupa interior eles iam lá de cuecas, melhor nem apostar ainda me sai caro... E onde arranjam eles dinheiro? Montam a barraca das salsichas em dias de jogos dos clubes de futebol?! Podia ser, até imagino o Marques Mendes numa dessas, sempre em cima do banco para atender clientes e tal, mas não é isso que acontece infelizmente, o nosso bolso paga e é algo reprovável. Pagar quem não é competente é exigir demais. A bem dizer, por estes trâmites eu nunca arranjaria emprego de qualquer das formas, mas isso sou eu...

É engraçado como eu me revejo a ser um futuro ministro. Não digo isto por dizer, pessoas que conheço já me disseram que eu tenho o que é preciso, e gostava de ter o seu trabalho, agora protesta-se mas ter um cargo daqueles há-de ser maravilhoso...e há que ver que quando se diz maravilhoso pode ser usado de uma forma irónica...maravilhoso para uns...'maravilhoso' para outros...^^

1 comentário:

Anne disse...

O dito caviar comunista!