domingo, 30 de dezembro de 2007

Apreciações sobre 2007

Foi mais um ano passado a voar, que miséria... Sobre este ano em concreto pode-se dizer que foi um ano simplesmente mau para a televisão portuguesa. A bem dizer por este tipo de raciocínio será mau todos os anos, pois a tvi carrega nas doses de novelas, suícidios em massa nos natal dos hospitais, mas enfim...

Do ponto de vista pessoal, continuo formalmente solteiro, e muito bem assim diga-se de passagem, vendo pelo exemplo de pessoas que conheço que passam a vida a discutir é o melhor que faço, e para esse assunto há muito tempo sinceramente. Mas quanto a isso não há muito a dizer porque sempre fui algo para o azelha e o 'paio' ou sorte para isso não cresce nas árvores, depende da personalidade de cada um...Timidez é lixado mesmo.....Outros pormenores...lá alcancei a faculdade, não foi mau. Mau foi ter de ser obrigado a ir para uma privada, mas pronto, nem todos são inteligentes, logo os burros vão esvaziando o bolso do paizinho nas privadas... Devo dizer que as comidas nas faculdades são bem melhores que nas escolas. Digo isto porque agora digo ''hm, não tá mau'', em vez de ''hm, isto está bom está...uma boa mer...'' e produzir aquele bonito e limpo gesto de cuspir para a camisa mais próxima, isto hipoteticamente falando, e nunca aconteceu, mas a minha cabeça avaria constantemente como podem ter vindo a constatar ao longo do tempo...

Faz uns quatro anos desde que me despertou a curiosidade pelos blogs pela primeira vez, aquele tipo de curiosidade do tipo 'Faz um blog já!', a chamada curiosidade relativa pseudo-obrigatória... É o meu 5º blog actualmente, e o que mais tempo durou, visto que cada vez que fazia o centésimo post acabava com ele, uma mania minha enfim...Se me der as ganas ainda volto a fazer o Jornal Irreal que vocês diziam que apreciavam...A ver vamos...A verdade é que comecei nisto apartir de uns amigos, e fui supondo isto como uma fonte de despejo própria de quem não apetece conter certas raivas, daí adorar falar de política como se vê...

Em 2007 foi o primeiro em muitos anos que não fiz árvore de natal. Desculpa mais plausível pareceu-me ser ter muito que fazer. Não fazer nada é algo que não se tem certeza de quando se acabou de fazer...Pareceu-me por bem ser essa a principal dúvida. Fiz bem. O natal não tem o significado de antes. Onde antes era surpresa que ia receber pares de meias aos quilos, agora já não acontece o mesmo. Recebo portanto chocolates e meias aos quilos. Algo mudou...

Sofre-se um bocadinho sair da escola secundária. Parecendo que não, sai-se do adolescente para a fase em que se decide o que fazer realmente da vida. É aqui que se sabe o que é ser um homem. E ser um homem não é ir para os escuteiros! É, pura e simplesmente, fazer disparates. Estamos habilitados para tal. Beber até cair, tirar notas baixas em provas importantes, dormir ao lado do caixote do lixo...Não quero desencaminhar ninguém na rota do mustafá, portanto se alguém que ler isto tiver menos de desasseis anos digo desde já que sou ligeiramente pateta, portanto não é para ligar ao que eu digo...

Um dos outros focos foi a perda de quase toda a estima que se tinha pelo Herman José. É certo que ele bem que se esforça, mas nada tem a ver com os tempos do 'herman enciclopédia' ou o 'Tal Canal', aquele programa 'Hora H' era...bem como pôr em palavras suaves...hm...MAU.

A Soraia Chaves também parece que se agarrou àquilo que mais gosta, ou seja, levar piladas, trancadas, e pronto, a gente arregala os olhos e lá vamos todos contentes para o cinema só mesmo naquela do ah e tal, só é pena que cinema português só tenha sucesso de bilheteiras dessa maneira...

Por fim devo dizer que acabei hoje mesmo de ler o último livro do Harry Potter. Li em três dias, aquilo viciava. Veio-me as lágrimas aos olhos, e não foi por não haver salpicão no frigorífico, mas porque tudo acabou bem e como devia ser. É uma lágrima daquelas relativas. A verdade é que me passaram o aspirador pela cara sem querer e eu fiquei com a cabeça com o aspecto de uma bola de neve, mas sem neve, com entulho do bom. Tipo juba de leão mas...epa...e tal. Suponham apenas, isso não aconteceu verdadeiramente. Mas se acontecesse não me queria imaginar a usar o meu focinho como aspirador após o verdadeiro aspirador ter ficado entupido depois de ter sugado a parede mais próxima.Vou parar por aqui caramba......

As ópticas de encher chouriços voltam para o ano. Vá, agora o negócio é enfrascarem-se bem no dia 31! Até para o ano. Felicidades!

sábado, 29 de dezembro de 2007

É a loucura


O povo quer...a muito contragosto, lá nos faz a vontade...



Estamos salvos!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Call Girl - Então qual é o número afinal?

Hoje em dia parece que se percebeu qual a única fórmula para um filme português ter sucesso. É preciso haver camas a chiar, e neste caso não é porque há esquilos lá dentro a grelhar nozes ou a fazer filetes, é porque há sexo, trancada da forte. Pelos vistos é o que se pede. Muito que o padre amaro se divertiu, que felicidade que esse padre teve...até eu pagava para ser um padre daqueles diga-se de passagem...

Agora a premissa é a mesma. Só que supostamente com mais palavrões à mistura. Um bom filme que em cada duas palavras se diz dois palavrões. É focado na acção. Soraia Chaves disse que não se preocupava com o que pensassem dela acerca de ter feito dois filmes em que expusesse-se nua, mas enfim, cá a malta até agradece mas não se pode dizer que crie lá muito boa fama. Suponham...'Quem era a gaja que levava forte no filme do Amaro?- Soraia Chaves'...Ainda vão ver esta mesma pergunta num programa de cultura geral da rtp daqui a uns anos...

Está claro que qualquer pessoa não está minimamente interessada sobre o que possam dizer dela, porque o que interessa em si é o filme, que sem dúvida terá o seu 'quê' de interesse. Agora o factor negativo é que os filmes portugueses só consigam ter sucesso recorrendo a fórmulas teoricamente menos próprias, se repararmos bem o cinema português é bastante pouco divulgado, e a bem dizer o que é divulgado aparte destes desta actriz têem sido...fraquinhos, sem o mínimo de interesse... Até hoje só vi um filme realmente bom português, chamado de 'Os Imortais'. Esse sim, bom filme. O resto...

Este filme para assistir seguramente em família estreia dia 27 de Dezembro, supostamente nas salas de todo o país, menos na barraca das farturas da Creusa...

O que faz um ministro?

Em primeiro lugar é começar por dizer o inevitável. O que gosta de fazer um ministro, além de não fazer nada? A resposta é nada. Se não está a fazer nada entende por bem continuar assim. O difícil é saber quando parar. Parar de fazer nada é algo muito doloroso, porque esse estado é bastante agradável. É como pedir que se atire da ponte 25 de Abril às 19h sabendo que se tem uma consulta no médico às 21h30 e de momento está-se a matar moscas, logo não dá jeito... Outro aspecto a considerar é saber argumentar. Na linguagem de ministro, argumentar ou usar linguagem política é ter o poder ligeiramente persuasivo( ou que pretende ter) de dizer o maior número de bacoradas sem limite de tempo (infelizmente) e sentir-se capaz de dizer de um modo de falar que se pode chamar de inteligente. Ou seja, dizer lixo mas saber calcular o melhor modo de o dizer para dominar a malta que tem de ser endrominada.

Depois desse difícil processo, chega a vez de ir preparar mais discursos cativantes, concisos e...idiotas. Dando aqui a minha opinião, devo dizer que a rtp não está de parabéns com o programa que teve 'Quem quer ser milionário'. Acontece que fizeram sessões especiais do programa com gente famosa, mas ministros nem vê-los. Até o titulo do programa já forçava a esboçar no mínimo um sorriso, como é exemplo algo como 'Quem quer ser mais idiota?', ou o popular 'Um contra todos', que também não teve a devida atenção, não convidaram ministros. O programa 'Um burro contra muitos' teria feito sucesso, era ver o Mário Soares a adormecer a cada minuto, o Sócrates às aranhas com perguntas de somar e subtrair e o Louçã a rir-se dele e formarem a chamada batalha campal em pleno estúdio. Teria o seu quê de cómico vá...

Voltando ao assunto. Já repararam que cá em Portugal conseguimos ter animais que são ministros e que dizem que de Lisboa para baixo é deserto? Que raio de nacionalista é este? Já vi mendigos com mais fé no país que este zuavo! Porventura pensa que se o país for deserto há mais ajuda externa para equilibrar as contas do país, fazendo-nos passar por coitadinhos?! Cá em Portugal ajudas são mal distribuídas, seria tudo entregue a quem não sabe o que fazer...

Como se sabe os ministros pertencem sempre a um partido, exceptuando os independentes claro. Os partidos podem definir-se como conjuntos de azeiteiros bem engravatados e que têem como finalidade criar bronca em outros partidos e entre si próprios. Cascar uns nos outros é o que se pede por palavras técnicas. Existe os partidos que estão em cima, que criam condições para os partidos que estão em baixo andem à cabeçada com eles. Regra geral quer façam algo bom quer façam algo mau é sempre o mesmo. Mas como os de cima são amigos eles preferem sempre carregar na porcaria para os outros irem-lhes ao focinho, e a gente somos sempre os lixados claro está. Lembro-me claramente dos debates entre o Santana Lopes e o rei Louçã, aquilo era um festa...

Um dos pormenores que me iam escapando é a fatiota usada. Sempre farpela bonita. Só os comunistas é que optam pela roupa da loja em frente à sua casa. De tão comunas que são aposto que numa possível 'Grande Entrevista' com a Judite de Sousa se o povo passasse mesmo fome e andasse só de roupa interior eles iam lá de cuecas, melhor nem apostar ainda me sai caro... E onde arranjam eles dinheiro? Montam a barraca das salsichas em dias de jogos dos clubes de futebol?! Podia ser, até imagino o Marques Mendes numa dessas, sempre em cima do banco para atender clientes e tal, mas não é isso que acontece infelizmente, o nosso bolso paga e é algo reprovável. Pagar quem não é competente é exigir demais. A bem dizer, por estes trâmites eu nunca arranjaria emprego de qualquer das formas, mas isso sou eu...

É engraçado como eu me revejo a ser um futuro ministro. Não digo isto por dizer, pessoas que conheço já me disseram que eu tenho o que é preciso, e gostava de ter o seu trabalho, agora protesta-se mas ter um cargo daqueles há-de ser maravilhoso...e há que ver que quando se diz maravilhoso pode ser usado de uma forma irónica...maravilhoso para uns...'maravilhoso' para outros...^^

terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Natal do costume


Hoje é dia de natal,
bela época para fazer renúncia a tremoços.
Abuso de doces ninguém leva a mal,
e raios partam as romãs é só caroços.

Mesa recheada de especialidades,
peixe cozido não entra obviamente.
O peru tem boas qualidades,
é comê-lo da forma mais displicente.

Bela árvore de natal a minha,
caco velho no limiar da podridão.
Prendas já ofereci um tijolo à madrinha,
e um par de latas de sardinha a um ladrão...

Meias como prenda não vi,
levei com boxers que me lixei.
É o costume ano após ano ao que percebi,
quero voltar a ter 6 anos idade que tanto gostei...


PS: Decidi fazer o centésimo post desta maneira. Obrigado desde já a quem comenta esta tasquinha que só se diz porcaria. E sim, recebi boxers em vez das meias, bela miséria esta. Há umas discrepâncias no entanto no pseudo-poema. Acontece que a minha árvore de natal não é um caco velho, muito pura e simplesmente este ano não existiu- pura lanzudice de a fazer enfim... E quanto às prendas não pus sequer a vista em cima da minha madrinha, portanto o tijolo é ficção que poderia realmente ser realidade, ao menos seria a prenda mais original do mundo a meu ver...e a lata de sardinhas e o ladrão foi só para encher chouriços, porque não vi o que poderia pôr para fazer sentido...saiu aquilo...que...não tem sentido de qualquer das formas. Passem bem. Bom natal para vocês leitores desta trampa, :)

domingo, 23 de dezembro de 2007

O utópico paraíso das cabeçadas

- José Sócrates decide fazer um estágio numas minas do Zimbabué, como calceteiro. Para tal abandona o cargo de primeiro ministro. Um desastre que só nos traz ânimo no sentido de que o Mário Soares pode-se recandidatar de novo pela trigésima vez a um cargo no espaço de dois anos.

- Cavaco Silva pede a Sócrates que reconsidere, pois este queria ir no seu lugar...

- Entretanto Marques Mendes, que estava na disneyland de França, é barrado quando pretendia dar uma volta na roda gigante por não ter altura suficiente. Fica triste e diz que se irá vingar no rato mickey que por ali passava.

- Descobriu-se mais uma fórmula que dá origem a armas químicas. Chama-se 'água do banho de Alberto João Jardim'.

- Francisco Louçã regozija-se por Sócrates ir embora. Mais tarde fica aborrecido por perceber que perde um dos principais alvos dos seus protestos, fazendo assim caretas e amua, não querendo comer uma fatia de pão de ló da tasca do Jimba.

- Alberto João Jardim fica tão contente que toda a gente sai da sala onde ele se encontrava. A flatuência tem destas coisas...

- 00h: Santana Lopes foi comemorar a saída de Sócrates indo à discoteca, como DJ.

- 00h02: Santana Lopes é internado num hospital. Demasiada pedrada (literalmente) em cima.

- José Sócrates, perante tanto contentamento dos dirigentes partidários, decide voltar atrás na decisão. Portugal inteiro pára. Existe uma guerra civil. Uma guerra civil relativa. De um lado os protestantes de Sócrates, do outro, os apoiantes de Sócrates. (Curiosamente encontra-se sozinho)...

- Sócrates angaria o apoio dos esquilos e dos piriquitos da sua casa.

- Alberto João Jardim olha para os piriquitos e vislumbra frango assado...

- Por fim Sócrates decide render-se, e ir seguir o seu sonho no Zimbabué...

------------------------------------------------------------------------------------------------

Utopia pouco concretizável, não é verdade? A gente é que sofre...Caso para dizer, na verdadeira acepção das palavras e sem ironias, TEMOS PENA!!

sábado, 22 de dezembro de 2007

Religião

Assunto ligeiramente irónico não é verdade? Possível, controverso é a melhor palavra para defini-la. Mas não entendo porque elas existem. Será assim tão bom e fiável existirem? Só deram porrada entre as pessoas caramba! Vamos por partes. Começo pela religião católica. Que trouxe de bom isso? Na minha óptica, ou seja, na opinião que ninguém quer saber, digo sinceramente que acho um absurdo tudo o que é relacionado com isto. Veja-se as cruzadas, o espalhar da fé cristã...Um bom espalhar de fé diga-se de passagem, chacinou-se pessoal como se fosse um desporto. É aquela velha questão de 'queres fé? Toma lá a fé, levas porrada que te lixas'... O exemplo do que aqui digo é bem patente quando, no tempo dos Descobrimentos, os espanhoís foram à conquista da América. Converter aztecas e incas para quê? É tudo povo para ir à vida, matar é divertido, venham todos!.... Já as jihad's é o mesmo assunto, matança em massa é o que se pede no espalhar da suposta fé...ridículo.

Quem pensa na Igreja católica também tem o exemplo dos clérigos apenas terem explorar o povo com taxas e sobretaxas ao longo de tantos séculos, ou por outras palavras, apenas usaram as pessoas para defender os seus próprios interesses, que passavam por enriquecer e viver à grande, e marimbarem-se muito pura e simplesmente para o bem comum! Porque surgiram as religiões protestantes? Não é difícil perceber porquê...

O que acho mais cómico é a existência do chamado deus. O homem descende dos símios, macacos para os amigos. Se querem chamar deus chamem deus à Terra, que criou todos os seres vivos de maneira que ninguém até hoje consegue perceber... Não acredito em transcendências, a vida, os azares ou alegrias acontecem por acontecer, nada controla a nossa vida, cada um pensa por si e cada um sabe de si... O deus é algo que foi criado na cabeça do homem para ter um conforto em situações difíceis, mas toda a gente sabe e é suficientemente esperta para perceber que basta pensar um bocadinho para entender que qualquer religião é uma farsa criada para situações de desespero, e para exploração alheia claro...

A religião está directamente ligada à ausência de paz que existe no mundo, principalmente entre ocidente e medio oriente. Questões éticas e morais divergentes estão implicadas, não é só a questão do petróleo... No meu ver sem religião éramos bem mais felizes, mas o Homem é um ser naturalmente insatisfeito e precisa de umas guerras idiotas para se sentir vivo, portanto não há nada a fazer... As mentalidades são vastas, diferenciadas, e peço desculpa se ofendi alguém mais religioso ou que dê mais importância ao assunto, mas este é o meu ver sobre isto.

Por último...embora não tenha religião nem acredite em nada de sobrenatural, parece que é costume no nosso país celebrar o natal, aliás se existe 97% de população católica por aqui, então quer dizer qualquer coisa, e os hábitos vão ficando portanto...Bom natal e bom ano novo para todos vocês, até um dia...


domingo, 16 de dezembro de 2007

Pausa


Eu bem queria escrever alguma coisa de jeito, mas de momento só me vem à cabeça entulho daquele...mau...Sem ideias por agora...e por amanhã também...e depois de amanhã vá...Comam um kit kat que dá jeito ter umas centenas de calorias para aturar esta brisa agradável na superfície epidérmica que passa nestes últimos dias...(chama-se briol do ca...lho dizendo de maneira mais genérica digamos).
E, em jeito de conclusão há que dizer e é sempre importante recordar: coiso e tal...portanto está tudo dito como devem ter captado...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Bombons e agriões

Que vida miserável que levo. Está claro que digo isto porque os testes começaram a aparecer, o que diga-se de passagem é relativamente chato e inoportuno, relativamente a favor claro... Todos os dias acordar cedo que bom...e quando falo em cedo quero dizer às nove e meia da matina, que só tenho aulas de tarde. Horários destes não lembram a ninguém, e quando se sai de lá é um grizo no focinho que nem com cachecol um gajo se sente mais acomodado. E o cheiro a mijo também não agrada lá muito no caminho para a escola, mas isso entende-se, pois passa-se perto do estádio do sporting...Atenção que não digo isto a brincar, lá para os lados do metro do campo grande é um cheirinho que é tudo menos rosas.

Há dias chegou a malta de África e dos países europeus para a conferência. Foi giro ver tanto camelo junto. Agora não só temos eles na política portuguesa, como também na tenda do khadafi... Até me admira sinceramente como não foi estacionar a carroça ali na margem Sul, essa bela região que supostamente é um deserto... Pode ser que cheguem a acordo com o Sócrates para ele ir trabalhar nas minas do Burundi, faltam para lá calceteiros e tipos das picaretas, logo com tanta marrada que ele dá por cá ele ir destruir minas até dava um certo jeito...

Pelas estações televisivas, mais concretamente a bem amada tvi, estreou mais um sucesso. Sucesso relativo. A verdade é que foram duas novelas a estrear. É a política de rajada, quantas mais supostamente melhor... Mas é sempre assim, quando se pensa que algo vai correr mal, essa coisa irá correr mal, logo quando pensamos que temos de sofrer com apenas uma, fazem-nos a vontade e põem mais uma em cima, 'sofram aí que se lixam'...

O Natal está a chegar. Essa bela época em que só tem piada quando se é pequeno. Isto na minha óptica claro. É que receber meias e chocolates todos os anos não é lá muito aceitável, até porque quando se é puto não se gasta só se recebe (dá 'lucro'), e agora é gastar dinheiro! - Sou forreta sim, só gasto dinheiro em cuentros e entremeada... O pior disto tudo é o Natal dos Hospitais, para ver os doentes a atirarem-se da janela por não quererem ouvir o Marco Paulo a apresentar o seu trigésimo best of da carreira...