terça-feira, 8 de abril de 2008

Parecem bandos de pardáis...uma porra

Dias curiosos estes. Damos conta e das duas uma: ou somos churrasco à pala do sol ou levamos banho de água no trombil. De uma forma ou de outra estes dias têem uma particularidade única, e que geralmente levam a uma certa e determinada pergunta- Para quê sair da cama?

É que a cama é um objecto muito confortável. É também um lugar para produzir actos consideravelmente interessantes. E é obvio que vos falo de algo algo constrangedor para o povo português. Aquele tabu e tal. Mas a verdade é que estar a ler um livro na cama e uma segunda pessoa não poder dormir por ter de estar uma luz ligada é sempre mau. Claramente que enfatizei os passatempos feitos na cama, mau seria se apenas ler fosse o que se pudesse produzir aí...

Outro tipo de atracção nestes dias costuma ser matar moscas, é sempre um regalo para os olhos de uma pessoa ver outra concentradíssima neste tipo de trabalhos. É que só possui vantangens. Não só se faz exercício físico como demonstramos o quão grande que é a nossa capacidade para divertir as outras pessoas que de nós gostam. Suponham fazer isso num jantar de pedido de casamento e verão que o momento emocionante e algo doloroso do dito cujo acaba logo ali, o chato é que esse acto fica para depois ou para nunca mais...

Falando de outros aspectos, posso relatar que as aulas do segundo semestre são um tanto quanto chatas... Longe vão os tempos dos jogos de batalha naval nas aulas de matemática do secundário( o jogo do galo perdeu qualidade e interesse convenhamos), mas descobri um novo passatempo. Trata-se de inventar desculpas para sair das aulas. Se uma ida ao médico já perdeu credibilidade, agora vou enumerar algumas que eu e um colega meu já pensámos:

- Dói-me os cascos.
- Tenho fome, anda-me a apetecer uns donuts...
- Não a consigo ouvir, os meus phones estão muito altos...
- Já não tenho pastilhas.
- Estou com sono, vou a casa buscar a almofada já volto.
- Já não há tabaco.
- Confundi a sala, sou um almeida.
- Tenho o senhor castanho à porta sabe...
- Vou arraiar o calhau...
- Isto não é um albergue? Desculpe, então enganei me...

Até as pôr em prática é que já é mais difícil, fica o esforço...

7 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Com essas desculpas não sei se vais longe!

Anne disse...

Ficam umas ideias para a posterioridade ;)

Joao disse...

Para a posterioridade é algo relativo lol...

Nanny disse...

LOL

Com essas não te safas!

Eu, como trabalho, tenho a grande vantagem de dar uma desculpa que tenho uma chamada de trabalho para atender :P

Sempre são uns 15 minutos ou mais fora da aula... mas olha, tás com mais sorte que eu... é que o meu 2º semestre é muitoooooo mais técnico!!!! :-(((

Beijocas

Lu.a disse...

Óh rapaz tu assim não te safas!

Nomyia disse...

E que tal: estou sem bateria?
*****

White_Fox disse...

Fartei-me de rir com essa das moscas. LoL.
Quanto às desculpas, acho que a última não seria era mt bem vista pelo professor.