segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Bloco de calúnias

Já alguma vez pensaram em cultivar uma amêndoeira num poço de petróleo? Ou porventura fazer uma sandes de cortiça? Quem supor este tipo de pensamentos não é propriamente um estupido. É mais um iluminado. Se partirmos do pressuposto que daqui a uns anos a produção de animais cair, talvez o pessoal se vire para o negócio das sandes de cortiça... O acto de comer aquilo é bastante saudável. Se imaginarmos que estamos a comer um hamburguer, correrá tudo bem. Está claro que as farpas próprias dos troncos de arvore não contam. Gargantas esquartejadas não é propriamente o que se pede, mas os acidentes infelizmente acontecem...



Agora passemos a analisar aquilo que eu li algures numa revista este fim de semana:

''40% das mulheres são vítimas de assédio sexual no local de trabalho"


Esta frase é um disparate. Melhor que podiam ter feito era relativizar que local de trabalho. Sim, porque existem lugares como as lojas de roupa da 5 à sec que aquilo é mulheres com mais bigode que eu! Nas plantações de milho aquilo também deve ser um belo local para romantismos alheios, carregadinho de pessoal prestes a bater as botas que o que mais quer é chegar a casa e comer a aveia matinal, pois os dentes já foram pelo cano abaixo.... Mas enfim, asdrubalices à parte, confesso que em meios completamente distintos desses é bem capaz, ao fim ao cabo olhar para o ar o dia todo é algo que é bom do ponto de vista psicológico, mas do físico faz dores no pescoço e não rende...


Mudando de assunto, que é preciso mais disparate. Sucede que não sou apreciador de fado. A meu ver trata-se de um espectáculo que possui o 'não sei quê' que pressupõe um determinado objectivo: fazer poses de sofrimento à medida que se canta. Recordo-me perfeitamente na cara da Marisa e lembrar-me da cara de qualquer pessoa quando está aflita para largar bombas na retrete. Será que já pensaram em cantar sentados no penico? Seria porventura mais realista, visto que aquilo pelo que entendi é apenas uma simulação de sofrimento... Pela mesma via vem também o canto dos ciganos, que é semelhante ao fado nesses trâmites, embora aí em vez de se vestirem de corvos como a Marisa, usam vestes próprias de quem é azeiteiro ou ladrão de fruta podre...

Passemos à utopia por ultimo:



''Agora com o novo kit pernas de aço já consigo dar um chuto sem me partir todo iáá!''

2 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Cortiça não, é muito seco!!

Tiago disse...

Eu acho que há uma profissão em que 99% das mulheres sofrem assédio sexual, prostituição :P Vá agora a sério... Deixem jogar o Mantorras!