domingo, 26 de outubro de 2008

Conto erótico-idiota

Confesso que li o post do colega blogueiro White Fox sobre isto e decidi criar um à minha maneira. Depois logo fazem justiça ao que eu de mal possa ter escrito...


Eram cerca das três da tarde e Marco Tibério estava a começar a levantar-se para ir para o trabalho, que começava às oito da matina. Acordou tarde porque andou a comer fiambre a noite toda, e depois levou as horas de sono todas a beber águinha por causa das sedes, porque o fiambre não é propriamente um alimento com sabor a mel, nem a pevides ou cebolas...

Certo dia não planeou a coisa mas bateu num poste de electricidade e reparou, precisamente quando um dente voava-lhe para fora da boca, numa mulher esbelta como uma bigorna e alta como um gnomo do mato, tratava-se pois da mulher da sua vida, a sua chefe, que recebia um terço do seu ordenado, na fábrica de rissóis perto da pocilga do Zé Arnaldo.

Muitas trocas de olhares existiam desde há anos, mas por alguma razão aparente, porventura daquela vez em que ele na brincadeira atirou cerca de três litros de óleo Fula para cima dela a coisa não correu muito bem apartir daí...

Mas num determinado dia o caso mudou de figura. Sucede que Ana Mocreia, que era seu nome, por muito risível que seja, tinha sido atacada por um coelho assassino de trinta centimetros e Tibério foi salvá-la, tendo de usar uma arma chamada grelhador para deter o vil animal, que de besta tinha muito...

Muito grata pelo trabalho prestado, ela concordou de imediato em dar-lhe uma joelhada no focinho, pois aquela do óleo tinha lhe ficado entranhado na cabeça ao longo destes anos. Posto isto contas feitas lá ele lhe transmitiu os seus sentimentos, e disse-lhe que apenas lhe tinha atirado com óleo pois ela lhe fazia lembrar um douradinho da pescanova de tão pequena que supostamente era...

Ele também não era propriamente um gigantone, mas transformou-se em um quando ganhou a coragem de lhe dizer que gostava muito dela, e que queria fazer o amor com ela, pois desde a perda de virgindade com um cão não mais tinha tentado a sorte com um ser humano, ao fim das contas o episódio do urso não chegou a consumar-se de forma credível...

Mas voltando ao assunto. Decidiram ir para a casa dele, pois não tinha ar condicionado e aquilo quer-se ambiente quente para ficar a espumar bem... Ela escapuliu para a casa de banho de modo a pôr um soutien de tamanho 52, apesar do seu numero ser o 21( ps: nem sei se este tamanho existe sequer)...


Continua....

9 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Uma boa semana para ti!

Lu.a disse...

lololol..."mulher esbelta como uma bigorna"???! Tá fantástico! :))

Otário disse...

espero continuação..-

Rafeiro Perfumado disse...

Acho que tamanho 21 até a mim ficava apertado...

DANTE disse...

lolllllllllllllllllllllllllllllll
Este é sem dúvida o plágio mais original que eu já li até hoje.
ahahahah

Um abraço

Pedro Barata disse...

Obrigado pela vizita, grão. Curti o teu blog e vou ficar atento a ele.

Um abraço e fico à espera da continuação... ;)

eu mesma! disse...

dentro do teu estilo de humor ficou giro!

White_Fox disse...

Fartei-em de rir. Mt bom mesmo.
Então a do tamanho dos soutiens... Enfim...

Alien David Sousa disse...

"coelho assassino de trinta centimetros " LOL

Estou a gostar...vou continuar.