quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Maravilhoso coração, maravilhoso...

O coração é muitas vezes o chamado orgão deprimente. É aquele mafioso bipolar. Muitas vezes pensamos com o coração e lixamo-nos à força toda por uma determinada incapacidade. Por vezes somos demasiado exigentes com aquilo que pretendemos, outras vezes somos demasiado levianos... Quando estamos a meio termo, ele faz um pedra papel tesoura connosco e venha o que vier se não tivermos um pingo de confiança damos cabo do esquema todo.

Quando nos tentamos proteger mais a nós próprios, acabamos por vezes por levar um 'sermão' psicológico por passarmos por pessoas frias, tempestivas ou mesmo idiotas. Falamos do coração como aquela coisa que nos permite elucidar sobre determinados assuntos quando ele começa a bater mais rápido que, se por vezes significa que podemos ter apaixonado por alguma pessoa, também poderá querer dizer que já não corremos há três anos e um esticão de dez minutos já andamos ali a monte quase a morrer...

Mas ser frio significa que não se regula bem da cabeça? Não exactamente, pode querer dizer que levou com uma bola de neve no focinho! Que é como quem diz, há diferentes pontos de vista da primeira vez que se conhece uma pessoa, juízos de valor mal medidos muitas vezes devido aos diferentes tipos de vestir ou aparência. Isso é francamente lastimável.

Temos momentos em que nos convém ser mais distantes. Por vezes é agradável passar momentos àparte de tudo o resto quando há problemas sérios por resolver. Problemas esses que não passam por ter de acabar com o stock de bolachas Cuetara lá de casa. Temos como exemplo o trabalho de uma pessoa. Por vezes certos tipos de trabalho vai fazendo mudar ou diminuir a coerência de qualquer um. Conheço exemplos disso. É que a paciência tem limites, e o resultado costuma ser atirar postas de pescada a tudo quanto é ser vivo. Tirando as formigas, que pouco mal fazem...

Isto tudo para dizer....nada.

9 comentários:

Andreia do Flautim disse...

Vá-se lá entender o coração!!

Indecisa disse...

É sempre um assunto complicado!
Por isso vou comentar... nada!
lol

Bjinho

(só um aparte, dizem-me que sou "fria" e "bruta".. mas não sou! O meu coração entende-me ;))

DANTE disse...

Conheço algumas formigas maléficas...
Mas tal como tu...eu nao disse nada! ;D

Um abraço

Lu.a disse...

heheheh...! Isto é por causa da aproximação do dia dos namorados...?

Inês Brito disse...

Eu nunca ajo por impulsos do coração, sou quase que completamente racional, o que digo desde já, não é muito bom. Arrependo-me de bastantes coisas, só com muito trabalho deixo as pessoas aproximar de mim e raramente dou demonstrações de afecto, tudo com o medo de me magoar.

'Arrepende-te de algo que fizeste e nunca de algo que poderias ter feito' (eu não sigo esta máxima mas uso-a imenso)

Bj,
(i)

Jp disse...

Lu.a:

Nem me passou pela cabeça que o dia de sao valentim é daqui a 3 dias por acaso lol...

Pedro Barata disse...

O dilema coração/razão... Complicado sempre!
Abraço

escarlate.due disse...

só para informar que cá em casa ninguém aprecia Sardet, acho que nem mesmo as gatas :P
mas posso enviar-te a lista de audições habituais que vai de U2, xutos, Queen, passando por the gift, prodigy, coldplay, nirvana,metallica...
como vês a diversidade é grande, até porque adoramos música

Sofá Amarelo disse...

Maravilhoso coração, maravilhoso, não tenhas medo do cansaço ou do castigo... onde é que eu já ouvi isto???