quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Poema de embalar formigas e ácaros

Recomeçou as aulas,
Essa bela maravilha,
Bom seria se fosse tempo de fazer as malas,
Porque o algarve é bom tal como arroz de ervilha...
Primeira aula do dia tudo a bocejar,
Mandem vir café para acordar!,
Um quilinho de amendoins para acompanhar,
Porque embora seja absurdo um gajo pode sempre sonhar....
Dedos com calos é muito bom,
É isso e ver profs a falar a alto tom,
Os queridos ouvidos ficam em papa,
Que até mesmo a bebedeira do dia anterior nao ajuda que era uma autêntica zurrapa...
O primeiro verso era demente,
O segundo era deprimente,
O terceiro era banal,
E o quarto bestial!........


O ultimo conjunto de 'versos' é o chamado bónus das verdades e mentiras, uma vez que a ultima parte do verso, 'bestial', chega a ser e é efectivamente ridiculo...

2 comentários:

PB disse...

És o verdadeiro!!! Grande poeta! ;)
Abraço

White_Fox disse...

Muito bom poema!
Chegaste a entrar no curso que querias? Esqueci-me de te perguntar.
abraço