terça-feira, 23 de agosto de 2011

Fosso de rico e pobre

Foram retiradas as acusações a Strauss-khan recentemente. Posto isto há que realmente dizer que pessoal com dinheiro por norma safa-se bem, por muito mal intencionadas que estas pessoas sejam... A lei indica infelizmente que, desde que haja dinheiro no bolso, e se existir ainda mais no banco, que aí é que interessa aos tribunais, o caso, por muito mau que se seja, tem sempre volta a dar...

É muito divertido quando um gajo relativamente pobre atravessa problemas burocráticos de qualquer espécie e de grande porte quando precisa de se livrar duma aldrabice qualquer em que foi metido, e depois ver que está lixado por pouco, e de seguida olhar para casos como este, em que palhaços com casos extremamente graves acabam por se safar por terem uma posição confortável no meio onde trabalham.

Tal como este caso, recordo-me há um ano ou dois, do jogador do benfica Luisão ter sido multado com trabalho comunitário por ter conduzido com excesso de álcool, e aqui atenção que não era um excesso pequeno, mas daqueles que até dava cadeia, e simplesmente por ser jogador do meu clube, se ter safado de ir para um sítio extremamente confortável e com gente francamente acolhedora....

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Ehh touro...

Confesso que nunca fui fã de tourada. Na prática nem preciso de confessar porcaria nenhuma, mas foi a palavra que surgiu na altura para escrever... Mas adiante. Tourada é aquele pseudo-espectáculo que é costume ter como assistência pessoal com uma carteira que em nada tem a ver com aquela que se encontra no bolso de um arrumador de carros (se é que ela existe nestes casos). Mas sim, por norma vê-se pessoal mais endinheirado a ver essa maravilha...

O truque, ou o suposto encanto da tourada tem a ver com o touro a levar porrada. O touro ali a esvair-se em sangue, muito giro... Eu nem pertenço propriamente àquelas associações de protecção da fauna e flora, mas sou completamente contra isto da tourada, acho extremamente mau o pobre animal ali a contorcer-se de dores quando um gajo vestido de palhaço (aquela fatiota extremamente bonita!) se encontra em cima de um cavalo a ver se o põe a correr contra ele...

Tudo bem que digam que depois o animal é para retalhar para mais tarde ser servido na mesa depois de comprado num talho, o que de facto é o pressuposto de criar gado, mas outra coisa totalmente diferente é fazerem sofrer um bicho durante umas horas, isso já é bastante estúpido!

É que não há igual tratamento entre todos. A haver tourada muito engraçado seria ver porrada para todos os lados! Não só os forcados, entenda-se, que esses de facto por vezes dá mesmo vontade de rir vê-los ali a voar pelos ares e a fugirem cheios de dores; mas diria os cavaleiros que também fazem parte da festa... Eu queria ver se eles espetavam tanto um touro se não tivessem a cavalo, era com cada cacetada que deixavam aquela farpela que usam bem engomada!.....

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Regresso a estas lides...



A palavra 'regresso' de certa maneira fez-me lembrar este 'escultor' de música da tanga. Passou-se algum tempo sem escrever. Há tempos relatei por aqui que o blogger perdeu muita aquela magia, no fim das contas quando uma coisa aparece só o simples facto de ser uma novidade dá aquele estímulo para que se crie dedicação. Talvez o maior culpado de tudo isto foi o Twitter, uma rede social muito especial. Especialmente má...

Em termos de novidades que actualmente já nem são novidades... Como se sabe, Amy Winehouse morreu. Não vou estar por aqui a rebaixar alguém que até teve um excelente álbum, aliás, os canais televisivos prestaram uma sentida homenagem à senhora em questão:


Se isto não é gozar com a morte dela, não sei bem o que é...Esperem lá, estava a fazer um bolo, pão- de-ló ou um doce da avó e sem querer aspirou a dita 'farinha' para o nariz e morreu de falta de ar...