terça-feira, 25 de outubro de 2011

Outono

Estão de volta os dias em que quando nos levantamos parece que ainda é tempo de estar na cama por mais uns pares de horas. Por outras palavras, voltou a chuva, voltou os dias extremamente cinzentos que nos levam a pensar porque isso não será razão suficiente para termos, por lei, direito a estarmos a dormir mais algumas horas. Isto não está certo, uma calamidade das grandes...

Está claro que isto não tem propriamente grande discernimento. Não passa de um mero catalisador para conversa de café... Mas de facto, dá pena não voltar a acordar com o belo do sol a bater na tromba. Se formos a ver pela lógica, esta actividade é uma boa desculpa para nos querermos levantar porque, por vezes, não é possível que nos desviemos o suficiente para o sol nos pregar este tipo de partidas (por exemplo um estore não poder ir até abaixo sob pena de se entortar todo). Está claro que existem maneiras subtis para o sol não produzir o seu efeito, mas cair no chão não costuma dar muito jeito, além de que costuma ser tão macio como um tijolo partido aos bocados...

Se formos a pensar bem nisto, ou seja, pensar em algo que não se justifica sequer pensar, até a questão de ir tomar banho ou o pequeno almoço sofre nestas condições. É que o tempo de chuva dá lanzudice, e quando queremos comer um pão ou uns cereais, aquela difícil tarefa de mastigar fica muito mais complicada. E mesmo a tomar banho, são mais as vezes que nos mexemos para não ir contra a parede da casa de banho, do que ensaboar, por exemplo. É que o sono não ajuda, e dormir em pé também dizem que não...

Mas por muito estúpido que seja este tema para escrever, a verdade é que é curioso como os dias de sol e de chuva mexem com a boa ou a má disposição de qualquer pessoa. Por exemplo, num dia de praia, o sol e a incapacidade de muita gente não estar parada muito tempo quando lá anda faz com que fiquemos muito mais cansados no fim do dia e chega-se à cama depois e adormece-se logo; em relação aos dias de mau tempo, por norma qualquer pessoa fica aborrecida mais facilmente, e por conseguinte mais tempo fechada em casa a ver um filme ou uma série, ou...outras coisas, e por vezes nem se dá pelo tempo passar...

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Diálogos do além e acolá

- Já não bebo há três dias...
- Não tocares nas sagres há três dias é grave, estás lesionado?
- Foi um canário que voou até ao além e........
- Hã?...
- Passemos a coisas sérias vá...
- Já estás a beber é...?

(Algumas horas depois, a comer amendoins, o telemóvel apita...)

- Ganhei 380 euros no totobola!
- Vais pagar a próxima ida ao Mac seu cabrão!
- Claro, mas um hamburguer, um...só um hamburguer!
- (!!) ......Seu palhação, põe-te no caralho sovina do camandro!...
- 'Tou ta oferecer um hamburguer e protestas espécie de protozoário de águas sem água!....
- Mil obrigados palonço, é pena que o pobre que está sempre pobre vira rico e sovina ao mesmo tempo...
- Sabes como é, sempre a considerar-te.....
- Vá, vai lá contra uma parede só para fazeres algo de útil por mim....

(Uns dias depois, enquanto se muda de canais na tv, uma pérola sucede...)

''-A voz pergunta para à não-sei-quantas para dizer nomes de PAÍSES da América do sul''
''- Hmm, é muito complicado, talvez....ÁFRICA''
- Você deste modo reuniu todas as condições para abrir a caixa da pandora da estupidez
- Será que assim vou para o céu ter à terra do satã?
- Quem Hmmmffff pfuahahaha (a voz ri-se, grunhe, e bebe um tintol para se recompor).... exactamente pensa ser satã?
- Então não é aquele senhor de barba com um casaco branco da Zara até aos pés?
-....
(Fora do directo)

- De facto escolhemos bem o elenco desta trampa. Esta gente gosta de aparecer, e é extremamente criativa à sua maneira, ou por outras palavras, são tão inocentes que mesmo quando escavam cada vez mais um buraco, são dotados o suficiente para continuarem a escavar. O programa é o maior lixo que apareceu em termos de formato, mas as pessoas que nele entram são tão especiais que isto consegue se safar nas audiências...E agora... ó teresa, pára de morder essa árvore!, para afiares os dentes tens ali um quebra nozes!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Novas temporadas de palermices

Estão de volta alguns programas nos designados canais abertos. Peso pesado e o Secret Story lá voltaram para mais uma rodada. Posto isto, há que dizer uma coisa em relação ao Peso Pesado, é muito estranho ver gente com o triplo do meu peso. Até passam uns quantos quilos do triplo, em alguns casos...

O conceito do programa em si até é porreiro, no fim das contas há pessoas que não sabem como perder peso, e quando a auto-estima faz com que uma pessoa não consiga pensar de forma minimamente razoável (comer para esquecer, neste caso), então é preciso mesmo especialistas na arte de bem torrar gordura para se obter resultados.

Mas o que realmente queria chamar à atenção era para o Secret Story. Aquele programa é o supra-sumo da estupidez! A táctica dos produtores daquilo até se pode dizer que é infalível, dentro duma cambada de gente que tenta entrar para o programa, são escolhidos os matarruanos! Do pouco que vi daquilo, ri-me. Confesso que odeio pronúncia do norte, principalmente aquela da zona do Porto, e tanto é, que é costume fazer esse tipo de pronúncia por vezes quando falo para soar ridículo e mais para mais porque assim transparece um bocado a minha estupidez também, que diga-se de passagem, é sempre importante, e neste programa cerca de 95% das pessoas é do norte do país, o que ainda fica mais engraçado de ver aquela miséria intelectual que para ali anda... É que muito mais importante do que ser quase tudo pessoal nortenho, é que se nota realmente que aquela gente é escolhida a dedo: é raro ver alguém parecer inteligente naquela casa, e nada fazem para que isso se deixe de notar...