domingo, 6 de janeiro de 2013

Desportos radicais!

Falo, claramente e sem sombra de dúvidas, de comer e dormir. Se fosse a categorizar isso como desportos radicais, não havia lá grande definição de desportos radicais...

A bem dizer, o tema hoje nem é sobre se são radicais, normais ou para o suicídio que quero falar.  O que sucede? Sucede que desde que saí dos tempos do secundário, já lá vão alguns anos, que praticar desporto é assim uma coisa que parece ser do outro mundo, ou lá o que é...

Durante praticamente metade da minha vida fiz natação, e quando fui para a faculdade decidi parar. Gostei de praticar, mas na altura achei que era o melhor que fazia, andava um bocado saturado daquilo ao fim de bastante tempo. Ou melhor, é curioso que entre gostar de fazer uma coisa e cansar de fazer a mesma, ambas podem suceder ao mesmo tempo. Digo isto porque nunca fui propriamente gordo, é francamente o contrário, logo a minha resistência não resiste lá grande coisa...

Decidi praticar futebol depois disso. Sempre adorei jogar futebol. Futebolisticamente falando, tenho um par de tijolos nos pés, o que sugere, e realmente indica aquilo que realmente se passa comigo: sou um cepo neste desporto. Mas adoro jogar. Ver, e jogar...

Pratiquei durante dois anos, e agora faço uns jogos de tempos a tempos. Algo que nunca me meti e muito provavelmente me fazia bem era ginásio, algo que ando a pensar há anos. É incrível como às vezes pensamos numa coisa e entre aquilo que pensamos e aquilo que concretizamos vai um longo caminho. Digo sempre para mim mesmo que aquilo no fim das contas não é para mim. Há um ponto a meu favor quando digo isto, ao menos não preciso realmente de perder peso, porque até sou relativamente magro. Em termos médicos, também me encontro em perfeitas condições, no que a colesterol, entre outras, diz respeito. Realmente dá jeito fazer estes check ups completos ao fim de uns oito anos sem fazer nada disso...

2 comentários:

Mary Jane disse...

A natação é dos desportos que por acaso acho que tem o condão de melhor polir os corpos masculinos, por isso vê lá se deixas de sofázar...

Eu sou uma bailarina viciadíssima. Parei na faculdade também, só recomecei no último ano e fui uma grande cepa. Também não preciso de desporto por questões de forma física, mas faz-me nem sei se melhor psicologicamente ou fisicamente.

João disse...

Eu em onze anos de natação não poli grande coisa, enfim...