domingo, 20 de janeiro de 2013

Reticências

Ontem estava a dar um programa na sic em que apareceu um politólogo a comentar a actualidade política do país. Eu percebi 'palitólogo' da primeira vez que olhei. De facto estudar palitos parecia-me, e parece efectivamente, uma ciência daquelas de encher chouriços...

Hoje teve um daqueles dias maravilhosos, daqueles em que saímos de casa descontraídos... para levar com um pedaço do pinheiro mais próximo em cima da cabeça. São daquelas carismáticas felicidades, típicas da vida...

Pois é, a verdade é que teve um vento danado. Um tipo de vento capaz de servir como íman para uma parede amiga. Mas vá, ao menos assim conseguimos perceber a expressão 'ao sabor do vento'. Não é é lá grande sabor, diga-se de passagem...

Foi o vento, e o frio também se fez sentir. Quase que era preciso levar uma garrafa de bagaço no bolso, para regular a temperatura do corpo, e da mente. O problema que advém de tentar atravessar auto-estradas dum lado ao outro a pé vem depois....




3 comentários:

Tétisq disse...

Os 'palitos' teriam sido muito úteis para proteger algumas cabeças dos pinheiros ... elevando-se à categoria de assunto relevante :)

Mary Jane disse...

O vento que aqui esteve ontem rumou a sul. Eu ontem não tinha estrada, tinha mato. E quanto ao sabor do vento, experimenta em cenários mais agradáveis, como junto ao mar (não nestes dias, não destes dias!) em vez de andares sempre agarrado aos cenários negros!

João disse...

Tetis: Palitos contra pinheiros é uma batalha dura hehehe


MJ:Foi tudo no mesmo dia, eu postei à 1h, se reparares bem. E quais cenários negros, lá porque não escrevo frases com borboletas ou rosas, não significa que só pense em maus cenários, é mais estúpidos cenários :)