domingo, 10 de março de 2013

Livra que é lixado!

S. Pedro....amigo....deixa-me te perguntar uma coisa: e se te fosses lixar? Nem que fosse só um bocadinho. Por favor peço-te...lixa-te. A sério. Sem ressentimentos de qualquer espécie. Pelo menos da minha parte... Tu, sendo aquele santo patrono do tempo, já devias saber que tens mais é que lixar. Faz o bem. Ou o bem possível. Não te enerves mais, não faço ideia dos teus problemas mas...olha, lixa-te! Está bem? Achas que pode ser? Achas que talvez te dê jeito lixares-te um bocadinho que seja? Eu falo por mim, acho que te fazia bem, dava-te mais tempo para pensares noutras coisas, ou outras actividades em que também te pudesses lixar não sei...

Nem sei o que mais de novo possa dizer para te confortar, mas sei duma coisa intrigante: porque é que quando tu estás lixado a gente é que se lixa? E se estás alegre a gente temos boas hipóteses de estar alegres? Porque é que não sabes calibrar bem o quanto a gente se lixa quando tu andas lixado com a vida? Porque é que já conjuguei o verbo lixar uma catrefada de vezes até aqui? Porque é que existe um clube de futebol francês chamado 'Nice' e não pode existir um chamado 'Joyce'? O que é um elefante? Atiravas-te ao mar se só existisse terra? Porque é que as pedras não voam? Porque é que o nestum não está presente nos ingredientes dos hamburgueres? Vês até que ponto é que a gente fica com o cérebro lixado apenas porque te encontras lixado? Sabes que mais? Por acaso até sabes. Sabes mas eu elucido este texto pouco típico de tese de mestrado de jornalismo só para ti, porque sou teu amigo: lixa-te, por favor!

1 comentário:

Tétisq disse...

deixa lá o senhor em paz, que ele no ano passado enganou-se e mandou chuva a menos e este ano quer repor o que ficou em falta! Aconteceu-lhe como ao Gaspar - calculou mal!