terça-feira, 7 de maio de 2013

Fábula pouco fabulosa do castor e do dentista

Antes de mais, esta porra não é fábula nenhuma...

Todos os dias pensamos como seria se as vacas voassem. Pode haver gente suficientemente azarenta para suportar o alívio dos pombos. Qualquer outra pessoa é suficientemente forte para suportar a má sorte dos outros. Quanto ao riso, a conversa é outra.

Tanta é a sorte de uma população que vota para levar com porcaria em cima. Estamos sempre cientes que podemos levar com prendas, ainda que umas mais desejáveis que outras (desejáveis? Espera lá ó João de que país estás a falar que eu desconfio dele??!)...

 É curioso como um certa frase encaixa tão bem a certos tipos de governantes: ''se escavar um buraco, não escave mais''. Cada um escava um bocado. Há tempo para todos brincarem. Por isso cada um faz a sua parte, sempre até ao momento em que a corda consegue esticar, para saírem da enrascada. Posto isto, com tanto buraco escavado é preciso ter dentes fortes para subir aquilo, se  não terem trazido ganchos, que é o que sucede na maioria dos casos.

O problema está nos dentes. Os seres humanos não são propriamente parentes dos castores, embora uma ou outra pessoa possa induzir em erro alguém distraído por natureza. Mas sejamos sérios, eu nunca vi um castor que conseguisse subir uma buraco que fosse uma armadilha para 'ursos' (literal e ironicamente falando).

É que os dentes partem, e os dentistas nesses casos não se contentam só com um quilo de livros de sodoku...

2 comentários:

Tétisq disse...

'Um quilo de livros sodoku' !?!
Deixaste-me preocupada com este texto. Fiquei preocupada com a tua saúde - Joaosinho o que é que tu andaste a fumar?

agatxigibaba disse...

O problema está mesmo nos dentes... andam por aí muitos que ainda os têm no sítio mas se justiça fosse feita não tinham ;)