quinta-feira, 15 de agosto de 2013

A ciência que é a paciência

Costuma-se dizer que bater nas prateleiras da cozinha não traz benefícios incalculáveis para a saúde. Toda a gente sente que é preferível comer alperces, dependendo do tipo de estômago da pessoa em questão. Tudo isto para dizer nada de propriamente relevante, e que na prática dá resultado...

Como se pode perceber pelo primeiro parágrafo, se é que há algo para depreender dali, é que não precisamos de dizer ou escrever muita coisa para não dizermos absolutamente o que quer que seja.

Isto é importante, porque nos põe em pé de igualdade relativamente a muita gente que se dedica a falar muito e bem, mas que na prática nada diz.

Às vezes falar bem é uma ciência. Às vezes falar bem é estar calado: por outras palavras, uma pessoa pode-se sentir sábia e nunca dizer uma palavra, ainda que as outras pessoas sintam que essa pessoa é assim um bocado para o estúpida.....

Ainda ninguém percebeu o que quero dizer com isto. Foram pela certa quatro parágrafos lastimáveis.



Sucede que a revista Forbes disse umas quantas verdades sobre a filha do presidente angolano, que já veio negar tudo através de um porta-voz. Normal. É por isso mesmo que digo que deve se sentir sábia. Tanto ela como o pai têm imenso medo da imprensa, de tão raras que são as entrevistas.

Mesmo quando dão entrevistas as questões são escolhidas a dedo. Nada que manche a imagem. Ou melhor, manchados já eles estão, mas como corruptos que são até se dão ao luxo de dizer que estudar é fundamental. É óbvio que é, mas no caso deles fica mal dizer isso. É sabido que desde que está na presidência muito têm eles roubado aos angolanos e a sua família detém todos os melhores negócios em Angola, que mais parece um país anedótico tal o nível económico-social que o seu povo tem, face à sua riqueza mineral e petrolífera.

É óbvio que o nível escolar num país que pouco ou nada tem para comer é baixo. É baixo porque o governo quer que assim fique. Preferem que venham estrangeiros e que compreendam bem a corrupção que lá existe...porque sabem que esses nada irão fazer para mudar o que quer que seja, eles estão lá para trabalhar, enriquecer e zarpar dali ao fim de alguns anos, sem saudades....

Um povo educado percebe sempre melhor o que realmente se passa e sabe como e quando reagir. Um povo com outro tipo de preocupações só quer é continuar a viver, a instrução passa sempre para segundo plano....

2 comentários:

Tétisq disse...

Sinto-me sábia! Tive paciencia para ler tudo e percebi os teus pntos de vista todos :)

Gosto de alpercer e quando bato nas prateleiras da cozinha fico com nódoas negras e solto um palavrão...apeteceu-me partilhar :)

João disse...

Através do teu segundo parágrafo creio que também já me sinto mais sábio...um sábio daqueles do caraças :)