segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Estou-te a ber!

Há países que se dedicam à pesca. Como se sabe, a pesca não se traduz apenas a robalos, sardinhas ou douradas. Há quem se dedique à pesca  de informação. Informação essa que à partida não interessa a ninguém, mas para o país em questão explorar a vida das pessoas é meio caminho andado para saber se, mediante as suas actividades, justifica ou não espetar um balázio na cabeça de alguém...

Há uns tempos esse mesmo país ficou muito indignado que essa prática, que muito enxovalha o país em questão, fosse publicada por um patriota da humanidade. Sim, porque só demonstrou que se preocupa com o nosso futuro. É pouco patriótico desse país relativamente a toda a humanidade. Se querem ser os senhores do mundo, que o vão ser para Marte ou para Júpiter, e se as estrelas se incluírem no seu rol de conquistas, bem que podem ir para o Sol viver que dizem que aquilo é quentinho.....

Hoje veio uma notícia sobre a dona da Alemanha e...da Europa (na prática), que dizia que ainda antes dela ser esse ser que todo o português 'adora', já ela era investigada pelo outro país de investigadores compulsivos.

Eu creio que é por estas e por outras que numa outra secção deste nosso mundo, nomeadamente países do médio oriente, nutrem uma especial 'admiração' por estes investigadores. Isto em confrontos de doidos há sempre alguém que supera o outro a todos os níveis...

Tenho ideia de que eles nem sabem o quão grave que é este tipo de perdas de privacidade. Não só deixam o seu povo envergonhado, como usam grandes fatias de orçamento neste tipo de práticas ilícitas...

Não era este país que se encontrava igualmente numa crise sem precedentes e que aos poucos estavam a ser ultrapassados por outros países emergentes como a China? Quanto não gastam eles com a defesa que poderiam abater e resolver os seus próprios problemas financeiros? Quantas mais guerras serão preciso ser financiadas muitas vezes por uma questão de capricho?....

Por último, se este país foi quem mais ajudou e lucrou depois com a Europa há 70 anos atrás, será que esta sua prática recentemente descoberta não é tão condenável como as que o nazismo produziu?....



5 comentários:

Tétisq disse...

Eu apostava que na primeira conversa Merkel-Socrates que os americanos escutaram, desistiram e consideraram a senhora desinteressante...

agatxigibaba disse...

O meu lado conspirador diz-me que nós não temos noção nem de um décimo do que estes "amigos" expiam.

Diana Fonseca disse...

Há quem pesque todo o tipo de coisas, realmente.

O meu blogue sempre teve a possibilidade de comentar, não sei.

Mas bem, vou seguir-te, então. Se gostaste do meu espaço, faz o mesmo.

Beijinho.

Alien David Sousa disse...

João, não é nada bonito o que os americanos andaram a fazer, e não é de agora. Mas vamos deixar-nos de hipocrisias, isto lembra-me um grupo de miudos que vão roubar pastilhas, mas apenas um é apanhado e é esse que fica com a reputação de ladrão.
Ó joão, tu acreditas mesmo, que apenas os USA andam a escutar, observar o que se passa nos outros paises? Pensas que a China não o faz? Que a Inglaterra também não anda juntamente com a frança metida na lama.
Se acreditas que apenas os USA tem a tecnologia para espiar outros paises, então não andas a prestar atenção ao que nos rodeia. É fácil atirar pedras neste momento aos USA, como seria se fosse descoberto que a Alemanha anda a espiar o Brazil ou outro qualquer pais, estariamos todos a cair em cima da senhor Merkel. E já agora, acreditas que essa santa não tem os meios para andar a espiar outros paises?

Deixo-te com esta!

João disse...

Alien:

Claro que pode haver outros países a espiar, então da Alemanha era o que menos ficaria espantado, uma vez que na Europa, a Alemanha consegue sempre arranjar maneira a que todos lhe fiquem a dever e é o único país sem défice, aliás, tem mesmo o contrário...

Porque será que a Inglaterra não quer o Euro para nada? Questão de orgulho? Sim, e...não! Eles hão-de ter receio que a alemanha tenha um certo tipo de controlo sobre eles...

A moeda única favorece um pequeno conjunto de países e na prática os que menos capacidade de adaptação ao euro estavam condenados à partida e ficariam sempre a dever dinheiro a quem da UE lhes comprasse dívida pública (Portugal, como sempre, opta pela via rápida de abraçar projectos e ver o que aquilo dá depois, a entrada na UE não nos serviu de exemplo na altura, serve-nos agora depois de tanto subsídio para queimar o que tínhamos de bom)...

Essa questão pode ter sido perfeitamente espiada. Não é à toa que a alemanha detém o controlo da Europa, tirando dois ou três países, um deles fora do euro, 'curiosamente'...