quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Comunicação pouco social

Muito se tem falado sobre o caso das praxes nos últimos tempos. As praxes têm o lado bom e o mau, e acho que o extremismo que já ouvi de muita gente seja em jornais online ou pelos telejornais já basta.

Fui aluno na lusófona. Não fui de longe um grande aluno, mas nunca na vida fiz o curso com qualquer tipo de sabotagens à la Relvas. A faculdade parece minada por esse palhaço e pela comunicação social, qualquer que seja a notícia dão um destaque tal que parece que não querem que os seus alunos tenham sucesso com tanta propaganda idiota.

A faculdade tem excelentes professores. Pelo menos no meu curso eu não tive qualquer razão de queixa. É muito engraçado chegar lá um otário qualquer de uma revista e fazer perguntas de cultura geral a um conjunto de pessoas, e porventura numa amostra de 100 pessoas deduzem que é melhor seleccionarem alguns para um vídeo anedótico. Convém passar a ideia que naquela faculdade só existem burros logo 6 ou 7 desses 100 mandam respostas pouco pensadas e têm uma desculpa para fazer uma primeira página com um título 'Juventude está perdida'.

É muito engraçado generalizar. Deve saber muito bem apontar o dedo aos alunos de uma faculdade inteira quando uma mísera parte faz porcaria!

Dos canais que mais tem dado cobertura a esta nova polémica da praxe foi a tvi. Mas passando primeiro àquilo que foram as minhas praxes lá na faculdade. É óbvio que ao fim de uma semana de praxes cansa, mas não tinham nada de mais, até à apanhada e futebol 'à caranguejo' jogámos. É óbvio que se fazem amizades quando se passa por aquilo, sim. E é uma tanga autêntica que todos os alunos da faculdade que são praxados passam pelo que este caso do Meco documenta....

Eu não passei por nada daquilo. Eu nem sequer sabia o que raio era um 'dux' até ter lido sobre este caso. No meu curso e em tantos outros são apenas os veteranos e pastranos dos cursos em questão que tratavam das praxes. Isso da comissão de praxes e toda a outra porra relacionada com o caso não me diz rigorosamente NADA!

A única coisa que eu consigo apontar de mau na lusófona é o geral das faculdades privadas: mensalidades são caras. Agora, quererem fazer com que o pessoal que lá estudou ou estuda se sinta completamente menosprezado e sejam completamente desprezados até possivelmente em entrevistas de emprego, não!

O jornalismo devia ter limites morais. Parece que quem escreve ou manda escrever certas coisas não se preocupa com a dignidade das pessoas.

8 comentários:

agatxigibaba disse...

Ultimamente li e ouvi tanta bacorada e estupidez que me tenho escusado a comentar. Nem há paciência para dar tempo de antena ao assunto...

Diana Fonseca disse...

O problema não está nas escolas, não está nas tradições, não está nas praxes, está no carácter de algumas pessoas.

Teresa Isabel Silva disse...

A comunicação social usa e abusa dos temas, infelizmente é um defeito que até eu como pessoa formado no ramo, tenho um certo desgosto sobre a maneira como os orgãos de comunicção exploram e exageram certos temas consuante a onda...

Bjxxx

Pensador disse...

Isto mesmo joao, infelizmente prejudicados acabamos por ser nós (o resto que não lhes interessa) por que temos uma cultura nos nossos média que está vocacionada para vender lixo causando polêmica

Carolina disse...

Depois daquela reconstituição da TVI, o mundo para mim deixou de fazer sentido, que coisa absurda -.- O problema é das pessoas!

Marcelly Rosa disse...

Olá, Seguindo o blog, adorei.é um absurdo. Ótimo Post!


(Comente e Siga-me)

http://marcellyrosa.blogspot.com.br/ M.R ♥

Miguel Pereira disse...

Já não se aguenta com este tema! Tens toda a razão, tenho sentido que há um ataque de alguns meios de comunicação diante da lusofona. Acho que existe um exagero grande para trazer os podres das universidades privadas...

http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

Tétisq disse...

nunca mais chega a Queima...ainda faltam 4 meses :(