sábado, 4 de julho de 2015

Tchunga e Merdafazis

Este domingo é o referendo grego. Referendo que se refere ao sim ou não. Era tão simples se disso apenas se tratasse, ou é tão simples porque o sim ou não de nada valem naqueles termos?...

Costuma-se dizer que não há limites para a estupidez. É daquelas imposições de medidas de superação pouco convenientes....

Se de um lado, um primeiro-ministro consegue superar em larga escala a irresponsabilidade dos nossos governantes, por outro existe um ministro das finanças que diz que tudo fica mais simples depois do referendo. Isto como se os representantes europeus já não tivessem dito que não havia mais negociações, e o que foi acordado antes, depois do referendo já não tem qualquer efeito....

Além de que de uma forma ou de outra, este governo grego, que até soa a piada chamar de 'governo', está mais do que condenado.

Com o sim, o governo fica sem margem de manobra porque não era isso que eles queriam. Com o 'não', estão lixados à mesma porque apesar de ser isso que propunham à população, a verdade é que a austeridade ainda será maior.

Pelo que se conseguiu perceber ao longo do tempo, os gregos precisam de ''reformas'' mas não querem mexer nas reformas. As pensões é algo que eles não querem mexer, mas também já nos foi dito que o povo grego tem das pensões mais elevadas da Europa, além de que o salário mínimo é 3-4 vezes o que é praticado no nosso país....

Eles porventura sabem que existe uma palavra chamada 'sustentabilidade', mas certamente não sabem o que é....

Não que quem criou a moeda única e o conceito de mercado e comunidade europeia não tenha culpa. É óbvio que o euro não devia ser uma moeda para todos os países da UE. As falências dos países dos últimos anos são prova disso.

Mas em suma...já se percebeu que a Grécia não basta um sim/não, vão é levar com ainda mais austeridade, mais um resgate e um novo governo não tarda....

Sem comentários: